Você conhece os procedimentos de clareamento dental? Esse é um dos tratamentos mais procurados nos consultórios ultimamente. Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), essa busca aumenta na ordem de 30% ao ano no País. Ainda com base em recentes pesquisas, um levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em 2016 mostra que dentre os tratamentos de maior valor financeiro e de maior complexidade que os entrevistados têm a intenção de realizar nos próximos 12 meses, o mais mencionado é o clareamento dentário, com 20,9%, seguido pela colocação de aparelho para correção nos dentes (14,8%) e a aplicação de porcelana nos dentes (10,4%).

Apesar de ser um procedimento simples, o clareamento dental exige uma série de cuidados para que não surjam problemas. Entenda mais!

O que é clareamento dental?

É um procedimento estético realizado pelo cirurgião-dentista, no qual se aplica um produto sobre os dentes, que é um agente clareador, para promover o clareamento de dentes originalmente escuros ou para recuperar a cor original dos dentes, perdida em algum momento da vida em decorrência de diferentes fatores. A mudança de cor dos dentes é um processo natural e é determinada pelas características individuais da dentina, mas também pelo estilo de vida. O consumo de certos alimentos como frutas cítricas ou bebidas como o vinho tinto, infusões de ervas, café, chá e refrigerantes, por exemplo, podem causar manchas superficiais no esmalte, em função de componentes corantes.

Como é feito?

O gel clareador usado na técnica de clareamento dental tem uma formulação ácida que pode ser feita tanto com o peróxido de hidrogênio quanto com o de carbamida, em concentrações variadas, com ou sem a ativação de luz ou laser. Ele entra em contato com a superfície do dente e é ativado por um processo químico, de modo a liberar oxigênio. Com isso, o oxigênio livre quebra as partículas de pigmento que deixam o dente amarelado. As moléculas permitem que o dente tenha uma reflexão de luz maior, parecendo ser mais claro.

No clareamento de consultório, o paciente verá resultado em uma ou duas seções, que duram em torno de uma hora. Nesses casos, a gengiva deve ser isolada, pois o material utilizado pode causar irritações nas mucosas orais, principalmente porque  o gel clareador é mais concentrado, para que o resultado seja mais rápido.

No entanto, nem sempre o tom desejado é alcançado e isso acontece porque o esmalte do dente é translúcido, mas a dentina tem o seu próprio matiz, que normalmente varia do amarelo ao laranja. Ou seja: quanto mais fino for o esmalte, mais se percebe o matiz da dentina. Durante o processo de clareamento, a cor do dente não é alterada, mas sim a saturação, o “croma” dessa cor para mais ou menos saturado. Há pacientes nos quais não há significativa alteração no grau de saturação. Por isso, antes de se iniciar o clareamento dental, é preciso estar ciente dessa possibilidade.

Tratamentos caseiros

Não é porque é caseiro que não precisa do trabalho do dentista. Ele é imprescindível.  Nas técnicas feitas em casa, o cirurgião-dentista confecciona uma moldeira personalizada para o paciente, fornece o gel com a concentração ideal para o caso e monitora semanalmente sua evolução. O manejo e a utilização são realizados mais comumente durante o sono. O resultado surge entre três e quatro semanas. As concentrações do peróxido de carbamida mais utilizadas na técnica caseira, vão de 10% a 22%, mas devem ser determinadas pelo dentista.

Contraindicações

Como todo procedimento, o clareamento também possui contraindicações. O indivíduo com dentes muito restaurados, precisam estar cientes de que apenas o dente clareia, uma vez que  a ação efetiva do clareador não se aplica a restaurados e/ou coroas protéticas. Sendo assim, os pacientes que possuem dentes com restaurações estéticas em resina, por exemplo, precisarão, após finalização do clareamento, substituir as restaurações estéticas, para que fiquem no mesmo tom dos dentes clareados. O procedimento também não é indicado para quem está passando por um tratamento médico sistêmico e debilitante, menores de 18 anos e gestantes.

A sensibilidade dentária também representa um risco, que ocorre devido à agressividade do produto utilizado durante o clareamento. Normalmente essa sensibilidade dura entre 15 dias e um mês. No clareamento caseiro, que possui um gel mais fraco, menos concentrado, os casos de sensibilidade são menos frequentes. Para evitar esse desconforto, o cirurgião-dentista pode aplicar, antes e após o procedimento, um gel dessensibilizante que auxilia na remineralização do esmalte.
Tire suas dúvidas também sobre lentes de contato dentárias.

Recommended Posts