tratamento endodôntico

Se você já ouviu a palavra “endodontia”, deveria saber que se trata de um processo muito importante, indicada em alguns casos para a manutenção da saúde bucal. É o tratamento de canal. Segundo uma pesquisa realizada pela revista Fimca, em Minas Gerais, existem aproximadamente 2.000 endodontistas registrados no estado. Mas afinal, do que se trata essa especialidade?

O que é endodontia?

Essa é a especialidade da odontologia destinada ao diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças que atingem a parte interna do dente: a raiz, a polpa, e os tecidos periapicais que envolvem a raiz.

O profissional endodontista é responsável por fazer diagnósticos, iniciar tratamentos e indicar a melhor forma de prevenir certos transtornos diretamente associados à região pulpar, e com possíveis consequências para as demais estruturas da arcada dentária.

Entenda mais aqui.

Quando o tratamento de canal é indicado?

Esse tipo de tratamento é feito quando há algum tipo de lesão que afeta a polpa do dente, normalmente, causando dores e muito desconforto. Outra indicação comum da endodontia é quando acontece algum tipo de trauma ou pancada no dente, o que afeta a polpa, resultando na maioria das vezes na morte pulpar.
O tratamento do canal da raiz dentária é realizado para reparar e salvar dentes muito danificados ou infectados. O procedimento envolve a remoção da área afetada do dente (nesse caso a polpa), a limpeza e desinfecção, o preenchimento e, em seguida, o selamento.

Como é feito?

O especialista, endodontista, realiza o tratamento de canal em uma ou algumas visitas ao consultório odontológico. Após exame clínico, anamnese e exames complementares, é estabelecido o diagnóstico. Após constatada a necessidade do tratamento endodôntico, é realizada anestesia local, para prevenção da dor e maior conforto do paciente! Em seguida, com a broca, é feita uma abertura na coroa do dente para acessar o tecido pulpar e em seguida há a remoção do mesmo. Todo o espaço que era ocupado pela polpa é esvaziado, alargado, irrigado e desinfeccionado. Após o selamento do canal radicular, é realizada uma restauração temporária até as próximas consultas e/ou restauração definitiva do dente.

Consequências

Apesar de muitos pacientes temerem o tratamento de canal, é importante que saibam as consequências de se abrir mão desse cuidado. Se os sintomas forem de dor, o quadro de saúde bucal tende a se agravar e a intensidade da dor aumentar ainda mais. Outros sintomas podem acabar aparecendo, como apatia, febre e até infecção bacteriana aguda da boca e da garganta, produzindo um inchaço que pode bloquear as vias respiratórias.
O medo de se perder um dente não é um pensamento correto, já que após esse procedimento, deve ser realizada a restauração do elemento com materiais restauradores tipo resina composta ou coroas protéticas.

Conheça os 5 problemas bucais mais detectados no consultório